quarta-feira, 14 de novembro de 2012

*O Parto*

O meu parto foi induzido às 38 semanas e 5 dias. Suspeitava-se que o baby R. já estava "madurinho" que cheguasse para vir ao mundo e assim foi. 
No dia 04 de Agosto, pelas 05h da manhã, tomei em casa um comprimido dado pelo obstetra.  A única coisa que ele me disse é que era para adiantar o trabalho de parto. Até porque só me queria no hospital a partir das 08h30 da manhã.
Iria ter logo dores? Eu não fazia a mínima ideia. Estava à espreita de algum sinal de dor ou outra coisa mas nada. Escusado será dizer que não consegui voltar a adormecer. Estava demasiado ansiosa com o que estava para vir.
Às 07 da manhã, ainda estava na cama quando senti um esticão na barriga acompanhado de um "Ploc!". Achei estranho, não se parecia em nada com os pontapés que o baby R. costumava dar mas não fiz caso.
Decidi levantar-me para ir à casa de banho mas, a caminho, senti água a cair-me pernas abaixo involuntariamente. Pois, tinham acabado de me rebentar as águas. Com que então era esta a sensação... Já tinha visto tantas vezes esta cena em filmes e agora era eu a vivê-la! Não pude evitar um sorriso ao pensar nisso.
Contrariamente àquilo que eu achava, não fiquei nada nervosa. Saiu-me um "Ups! Acho que me rebentaram as águas". O nervosismo apoderou-se do meu marido que me apressou, dizendo que tínhamos de ir logo para o hospital. Lá se ia o meu pequeno almoço reforçado!! Vesti-me e lá fomos a caminho do hospital, não sem antes levar uns iogurtes para comer entretanto. 
Ainda não se tinha passado meia hora e já sentia uma pequena sensação de desconforto na barriga. Fiquei a pensar se seriam mesmo contracções. Tão rápido? E tão próximas umas das outras? Não podia ser!
Primeiro de 4 em 4 minutos. Passado pouco tempo, de 3 em 3 minutos.
40 kms mais tarde, chegámos ao hospital e lá dei entrada às 08 h da manhã.
A partir daí foi tudo muito rápido. Enquanto o médico chegava e não, as dores foram-se tornando mais fortes e mais próximas umas das outras. Eu bem tinha levado um livro para ir lendo mas escusado será dizer que o pus logo de parte. 
Como o médico não chegou à hora combinada (08h30), fui levada para o registo. Bem, não sei quanto às outras pessoas, mas no que me diz respeito, deitada ainda doía mais!! Oh se doía!
Estava eu concentrada para não entrar em pánico e rezando já pela alminha do médico, quando este finalmente apareceu passado meia hora.
Fez-me o toque e acontece que no espaço destas duas horas, já tinha 7 cm de dilatação!!! Fiquei parva! Belo corpinho, estava a ir muito bem! A minha pergunta foi logo quando é que poderia levar a epidural!!!!!! Porque já não estava a achar grande graça a isto tudo!
Ao que ele me respondeu que seria logo a seguir. Sosseguei e voltei a concentrar-me na respiração.
Passado pouco tempo lá fui a caminho da sala de partos. Apesar das dores, ninguém se lembrou de me ir buscar uma cadeira de rodas e por isso lá fui agarrada às paredes, parando apenas quando me vinha uma contracção.
Na sala de partos, voltaram-me a deitar e apesar de pensar que a dor era apenas o meu útero a contrair-se, o músculo a fazer o seu trabalho, já não estava a aguentar tão bem. E onde raio parava a anestesista?!!
Por volta das 11h15, administraram-me finalmente a milagrosa epidural que fez efeito passados 5 minutos.
A partir daí, foi uma maravilha. Dores? Quais dores?! Não senti mais nada! Foi tão bem dada que o médico teve de me dar 3 comprimidos para sentir um leve puxão para podermos começar o verdadeiro trabalho de parto.
O trabalho em si deve de ter demorado menos de 10 minutos. Com 3 ou 4 puxões, baby R. nasceu às 13h57 com 3kg500 e 48,5 cm.
Estava um lindo dia de Verão.

Sem comentários: